Sobre Fernando K


Vivemos num mundo onde a tecnologia avança a passos exponenciais e cuja velocidade supera até a nossa capacidade humana de assimilar tantas informações. Por conta desta constatação, venho nos últimos anos desenvolvendo métodos para que as pessoas aprendam com maior velocidade e menos esforço. Sendo assim, criei um canal no Youtube, bem como este Blog, que são os desdobramentos de um dos meus cursos de programação e robótica.

Youtube 

Blog



Programação para crianças

O livro Homo Deus (Yuval Harari), um best seller, sucesso mundial, apreciado por muitos presidentes de países e de companhias, como Mark Zuckeberg e Larry Page,  mostra um cenário em que nós, humanos, não seremos melhores que o computador em quase nada.
Isso, fatalmente, vai deixar uma legião de pessoas “inúteis”: 80% da população perderão suas ocupações. Tal previsão indica, portanto, que infelizmente, a maior parte da população estará desempregada e subempregada.

Um autor mais otimista, Frederico Pistono, acha que a sociedade vai precisar de um novo acordo social, já que não haverá emprego para todos. Uma sugestão dele é de que os estados paguem um salário mínimo para aquelas pessoas que precisarão sobreviver sem emprego.

A pergunta, então, é: “Quem serão esses profissionais que permanecerão úteis, empregados e necessários?”.

O futuro nos reserva muito desafios. Muitas profissões vão desaparecer. E, outras tantas, serão ainda criadas. Mas, acredito fortemente que aqueles que ainda serão “úteis” são as pessoas criativas, que desenvolvem tecnologia.

Espero, sinceramente, que você seja uma delas!


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quem sou?



Sou formado em Ciência da Computação, diretor de uma empresa de tecnologia e criador de um curso de programação para crianças, adolescentes e adultos. Resolvi criar este um canal no Youtube e este Blog para compartilhar com você um pouco da minha experiência.

Comecei a gostar de eletrônica logo aos 12 anos de idade, comprando revistas do tipo “Divirta-se com a Eletrônica” e “Nova Eletrônica”. Aos 14 anos, aprendi a programar. Foi quando comprei uma calculadora científica e descobri que ela era, na verdade, um computador com linguagem BASIC. Desde então, decidi que iria seguir o meu hobby como profissão.

Optei, portanto, por fazer um ensino médio integrado a um curso técnico em eletrônica, na ETEP, em São José dos Campos. Na sequência, fiz Bacharelado em Ciência da Computação, em Presidente Prudente.

Posso dizer que, desde o meu primeiro emprego, sempre fui atraído por indústria, bem como trabalhos que tivessem lado a lado o hardware e software. Desta forma, sempre estive envolvido com desenvolvimento de protocolos de comunicação, assim como projetos ligados ao hardware.

Lembro que, recentemente, houve uma revolução Maker no mundo e o preço das máquinas e componentes passaram a cair, dia após dia. Sendo assim, o poder de um único engenheiro aumentou muito em função de um maior encapsulamento do conhecimento complexo. Um exemplo disso é que você pode utilizar o reconhecimento de voz sem necessariamente entender como essa tecnologia foi feita.

Este mesmo cenário tem atingido a mecânica, possibilitando a nós, Makers, a criação de nossas próprias máquinas CNC, o que antigamente custaria fortunas.

Isso tem feito com que as empresas reconheçam nos makers uma força vital para a inovação e competitividade, já que a maioria dessas pessoas não trabalha só por dinheiro, mas por uma satisfação e um sentido maior, de missão.

É fácil de reconhecer os makers na história: Santos Dumont, Tesla, Thomas Edison, Steve Jobs, entre muitos outros. Não posso dizer que se trata de um grupo grande de pessoas, mas posso afirmar que a atuação destes transformou o mundo.


7 comentários:

  1. A educação precisa de profissionais da tecnologia, mas que estejam ligados efetivamente à educação, para poder entender como a máquina funciona a fim de poder otimizá-la. Tenho visto propostas de tecnologias para a educação, mas tudo solto, sem geração de métricas e resultados, que apoiem as ações dos dirigentes escolares em todos os seus níveis.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Fernando. Vi teu último vídeo por seu post no Arduino BR. Muito legal e didático. Eu sou um velho dinossauro da informática e tenho me dedicado a escrever posts de eletrônica. Acabei de publicar um na area de IoT com NodeMCU e Alexa:
    https://mjrobot.org/2017/08/30/computer-fire-all-weapons/

    A propósito, quase nos "esbarramos" na ETEP! Fui aluno da eletrônica lá de 74 a 77. De 78 a 82 fiz Engenharia na UNIFEI e de 83 a 85 voltei à ETEP como chefe do Dpto de Eletrônica. Em 85 a Avibrás me convidou para um projeto de Transferência de Tecnologia com uma empresa da Suiça e parti do mundo academico para o executivo, só voltando neste ano! ;-)

    Muito legal ver pessoas como você dedicadas ao ensino!
    Um abraço
    Marcelo Rovai

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos comentários Marcelo !

      Excluir
  3. Trazer informação sobre ESP é muito interessante, praticamente não se acha artigos em português. O conteúdo deste blog é muito bom e você explica muito bem, por isso, o canal no youtube e sua página no facebook estão cada vez com mais seguidores.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelos videos e pela trajetória.
    Sds,
    Heverton Matsubara

    ResponderExcluir
  5. Professor Fernando, muito bom seu trabalho...

    ResponderExcluir
  6. Quero trabalhar com monitoria de crianças sou tecnico eletrônico e tenho interesse em acompanhar,ministrar aulas, já fui docente em curso tecnico

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.