Receba o meu conteúdo GRATUITAMENTE

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O Futuro do Professor


Neste vídeo eu explico alguns tópicos que considero importantes, com relação ao salário
e satisfação dos professores e o que eles podem fazer para melhorar sua situação.

Eu penso que alguns professores estão em uma situação difícil, pois além de achar que não ganham o suficiente eles também não tem prazer e nem satisfação na sua profissão. Acho muito difícil você passar muitas horas do seu dia trabalhando sem ter satisfação naquilo que faz. Acredito que a primeira parte do seu salário é você que dá para para si mesmo. Você é capaz de criar satisfação para você mesmo.

A parte financeira é consequência de uma série de coisas que depende mais de você. 

Sei que não parece, mas é a verdade. 

Parece que depende do governo sempre, que o governo é que te paga mal (não estou aqui defendendo a posição do governo),
mas a questão é o seguinte:

Será que ficar colocando a culpa no governo vai melhorar sua situação?

Eu acho que não. Pretendo gravar muitos vídeos e colocar minha posição aqui. Eu vi meu pai trabalhar, durante muitos anos, uma quantidade imensa de horas; Uma parte do tempo ele tinha satisfação, outra parte era puro cansaço. Acredito que as coisas não precisam ser assim. Hoje temos muitos recursos tecnológicos e isso é uma coisa na qual vou falar muito, sobre como a tecnologia pode te ajudar, como você pode tornar sua vida menos pesada, menos sofrida, e como você vai poder melhorar o seu nível de instrução. Você sozinho, não precisa ter dinheiro.

Quem é afinal o culpado de você professor estar nesta situação?


Principalmente as pessoas que dão aula somente no ensino público, municipal, estadual ou federal sentem isso: como são mal remunerados e como as situações são difíceis. Eu acho que ficar reclamando não vai adiantar. Arrumar um culpado é sempre mais fácil do que você mesmo buscar dentro de você uma saída para esta situação.

Quero mostrar um pouco do que meus pais viveram quando eram professores e quais eram as dificuldades deles, mas também posso mostrar o lado que eu convivi. As mudanças tecnológicas e as novas possibilidades que um único professor pode ter. A gente como professor pensa: poxa, eu sou apenas um professor, o que eu posso fazer? Eu não posso nada, porque o governo não mexe nisto, porque meu diretor não deixa eu fazer isto, porque minha coordenadora me cobra disto, mas você não pode ignorar uma coisa: você, como professor, quando fecha a porta da sala de aula, tem muito poder! Você é capaz de fazer muita coisa! O que apenas um homem pode fazer sozinho? Ele pode começar mudando a sua própria realidade.

Eu tive exemplos na minha família, meu pai foi professor durante a vida toda e ele sempre acreditou que se podia fazer alguma coisa melhor. Eu recebi isso e vi o sofrimento e as dificuldades pelas quais ele passou, portanto não acho que seja fácil ser professor, mas acho digno!

Outra coisa que eu queria falar é sobre a questão da mídia, que nunca te ajudou. Porque sempre você ligava a televisão e via um humorista falando assim: "e o salário, oh", ou seja, sempre te jogam para baixo, dizem que você não pode ou que é um coitadinho, mas não é isso.

Você só é um sofredor se você quiser. Não é auto-ajuda o que eu estou pregando. Eu estou pregando o seguinte: que hoje existe internet, que você tem acesso um computador, a notebook e essas coisas não são mais tão caras como eram no passado.

Quando eu comecei a estudar computação, eu lembro, o computador custava mais ou menos o preço de um Toyota Corola (se fosse hoje, o valor dele). Então, não é mais assim, com menos de R$ 1.000,00 você consegue comprar um computador, você tem mais acesso à informação (às vezes não dentro da escola, mas na sua casa).



Eu desenvolvo softwares, sou professor, programador, desenvolvedor de aplicações para internet e para tecnologia educacional e eu quero mostrar, durante este tempo em que eu estiver gravando estes vídeos, eu vou mostrar como é que você pode sair da teoria e ir para a prática. Como você, sozinho, pode se mover em direção a uma melhor posição em sua carreira. Depois que você começar a obter resultados as pessoas vão começar a te valorizar. A mídia não valoriza o professor, pois ela "valoriza", mas, logo em seguida te coloca em uma posição de um "coitadinho", e você não pode aceitar isso. Você não deve ficar aceitando "piadinhas" sobre professor. Você tem que se mostrar como alguém que tem uma profissão digna.

O aluno, o governo, o seu diretor, os pais dos alunos... você não vai conseguir encontrar um culpado para esta situação. O que a gente tem é toda uma conjuntura. O aluno de hoje é diferente do aluno da minha época, o governo é uma variável que a gente não domina, eu não consigo controlar o que o governo vai ou não fazer. Então não adianta eu ficar reclamando. O seu diretor também está dentro de uma estrutura geral - é lógico que quanto melhor for o seu diretor a escola vai ser melhor. Os pais dos alunos: será que eles não educam seus filhos da maneira que eles deviam ser educados? Está é uma outra questão que temos pouco domínio.


Eu acredito que a profissão de professor é muito digna e que você pode mudar sua realidade e eu vou mostrar, ao longo destas videoaulas, como é que você pode sair de uma situação teórica - que seus alunos não prestam atenção em você - e como nós podemos utilizar os recursos que estão a sua disposição, e que são de graça (geralmente, quase todo mundo tem internet em casa) e você já tem tudo o que precisa.

Na próxima vídeo aula eu vou mostrar um aplicativo que desenvolvi para que você possa explicar as coisas de uma maneira mais fácil e rápida. O melhor de tudo é que você não vai precisar ficar repetindo sempre a mesma coisa. A cada mês que desenvolver mais material, você começará a fazer menos esforço para ensinar mais.


Até a próxima!

Um comentário:

  1. Eu acredito! Vamos mudar e aceitar os conselhos de quem está disposto a ajudar a melhorar a educação.

    ResponderExcluir